Mel é usado como botox e Beyoncé já tem coleção com 80 mil abelhas

Apesar de natural, para utilizar o mel como skincare é necessário fazer testes de alergia antes de iniciar o tratamento. O ideal é procurar um dermatologista. Imagem: Reprodução

Produzido pelas abelhas, não é de hoje que o mel é usado como item poderoso, tanto na alimentação como na rotina de skincare. Não é a toa que Beyoncé possui cerca de 80 mil abelhas, afinal, são inúmeras propriedades curativas.

Antioxidantes, antivirais e antibacterianas, ele possui diversos benefícios quando ingeridos. Já na pele, os benefícios também são vantajosos a ponto de serem adicionados nos últimos lançamentos do mercado, como máscaras faciais, cremes hidratantes e loções de limpeza. Por isso, o doce é usado desde a antiguidade a fim de melhorar a qualidade da pele.

“Ele é rico em vários nutrientes, entre eles vitaminas do complexo B, dentro dele tem a vitamina B3, também conhecida por niacina, que possui ação cicatrizante, hidratante, reparadora. Por esse motivo o mel também é utilizado na cicatrização de feridas. Além de possuir vitaminas C e E, que é antioxidante, combatendo os radicais livres e retardando o processo de envelhecimento”, afirma a dermatologista Cíntia Cunha.

Segundo ela, a associação do melado com própolis pode inclusive melhorar a acne e infecções fúngicas já que possui ação oxidante e clareadora.

Por ser um produto natural, é importante ficar atenta à região geográfica que é o mel é retirado, do apiário, característica das abelhas e época do ano em que é coletado. “Tudo isso pode interferir na sua composição”, destaca a médica, que recomenda uma receita caseira já que o mel é rico em ácido glucônico. “Você pode misturar com aveia fina e fazer uma esfoliação suave durante cinco minutos após o banho. Basta aplicar no corpo e fazer movimentos circulares na pele”.

O ingrediente pode ser utilizado em qualquer tipo de pele, mas, de qualquer forma, é importante procurar um dermatologista para aderir ao tratamento de acordo com sua expectativa. “Não possui contraindicação, nem para acne, nem para rosácea”, opina Cíntia Cunha.

Geleia real

Além do mel, outro ingrediente poderoso é a geleia real, que faz com que as abelhas rainhas vivam em torno de cinco anos, enquanto as abelhas operárias vivem aproximadamente apenas 45 dias. O produto nobre da colmeia, tem um poder antioxidante muito expressivo, onde atua retardando o envelhecimento celular. “A ação na área cosmética é o poder antioxidante, em que a geleia real tem atuação na célula com o contato fisicamente, por meio de formulações cosméticas ou pela ingestão por via oral”, diz a apiterapeuta Josiane Rossi Engelmann.

Até no botox

Outra utilidade da abelha é para o uso de botox. A técnica utiliza o ferrão de abelhas vivas, perfurando a região desejada. “É um procedimento delicado e exige muito de quem aplica, pois, requer cuidados prévios e domínio”, destaca a especialista. O veneno, conhecido como apitoxina, fica armazenado numa bolsa, que localiza se antes da agulha do ferrão. Desta forma, o técnico necessita recolher o ferrão da abelha viva, com habilidade que não destrua a bolsa, sendo assim garante de 1 entre 10 perfurações com o mesmo ferrão, e cada vez que perfura, a apitoxina é injetada no rosto para estímulo do colágeno, hidratação, ação anti-inflamatória e outras reações físico-químicas.

Para fazer esse tratamento, é necessário fazer testes de alergia antes de qualquer coisa. “É contra indicado para peles com lesões, paciente com insuficiência renal e gestantes”, afirma Josiane.

Infinidade de produtos

Não é à toa que várias celebridades do momento adicionaram o ingrediente em seus rituais de beleza. Kate Middleton, por exemplo, revelou usar produtos com veneno de abelha em tratamentos faciais realizados pela esteticista Deborah Mitchell, criadora da marca Heaven Skincare. Os benefícios prometidos vão desde hidratação até a redução de rugas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *