outubro 12, 2021

Órgão dos EUA desaconselha aspirina para pessoas com risco de infarto

Um grupo de especialistas da Força Tarefa de Serviços de Prevenção dos Estados Unidos decidiu, nesta terça-feira (12/10), contraindicar o uso de aspirina diária em doses baixas para pessoas com risco de ter ataque cardíaco ou derrame pela primeira vez.

Segundo os médicos, a chance de efeitos adversos sérios é maior do que os benefícios da prática. O uso ininterrupto do medicamento pode causar sangramentos e hemorragias, inclusive no estômago e cérebro. A recomendação vale para pessoas com menos de 60 anos — no caso de pacientes que já usam a aspirina diária, os especialistas pedem que o protocolo seja revisto com o profissional de saúde caso a caso.

“Quando olhamos para a literatura, a maioria dos artigos sugerem que a balança não é favorável para a maior parte das pessoas, há mais sangramentos do que ataques cardíacos prevenidos. E não falamos de nariz sangrando, mas de hemorragia no cérebro”, explica Amit Khera, um dos autores da recomendação, ao jornal The New York Times.

A aspirina é capaz de inibir a formação de coágulos sanguíneos e evitar bloqueio das artérias e, por isso, era indicada para pessoas predispostas a problemas cardíacos. Porém, para os médicos do órgão americano, outros medicamentos hoje são capazes de manejar a pressão alta e o colesterol e diminuir o risco de ataques cardíacos. “Hoje temos menos espaço para que a aspirina faça qualquer diferença”, afirma Donald M. Lloyd-Jones, presidente da Associação Americana do Coração.

Fonte: Metrópoles

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *